Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.
Voltar

Impacto financeiro do tratamento no paciente com câncer

O estado emocional e a qualidade de vida da pessoa com câncer também podem ser prejudicados quando a doença afeta as finanças da família.1

Impacto financeiro do tratamento no paciente com câncer

Além de problemas de saúde e possíveis efeitos colaterais de tratamentos, o paciente com câncer também está sujeito à “toxicidade financeira”, que é a preocupação com os custos do tratamento que não tenham algum tipo de cobertura. Há, ainda, o impacto na renda por uma eventual incapacidade de trabalhar da própria pessoa ou de alguém que precise cuidar dela, o que pode interferir muito no estado emocional e na qualidade de vida da pessoa.1

Paciente com câncer e finanças

Existem vários fatores que podem fazer o paciente com câncer ficar mais vulnerável a problemas financeiros e, consequentemente, a mais angústia e sofrimento, por exemplo: se ele consegue ou não continuar trabalhando, o quanto contribuía para a renda da família, se tinha algum tipo de seguro de saúde etc.1 Tudo isso pode afetar as finanças da família em função do tempo e dos recursos que são necessários para enfrentar a doença.2

Direitos da pessoa com câncer diminuem impacto financeiro da doença

O paciente com câncer tem uma série de direitos garantidos por leis federais, estaduais e municipais que ajudam a diminuir o impacto financeiro da doença no orçamento. Desde tratamento e medicamentos gratuitos no SUS3-5, até o uso de transporte coletivo sem pagar em vários estados e municípios do país.5 Alguns dos direitos são os seguintes:

Tratamento no SUS – o paciente com câncer tem o direito de começar a ser tratado de graça pelo Sistema Único de Saúde em até 60 dias depois do diagnóstico.3,4

Acesso gratuito a medicamentos – depois de avaliação especializada, a pessoa com câncer tem direito de receber gratuitamente medicamentos adotados pelo SUS.5

Plano de saúde mesmo com doença pré-existente – a lei garante que qualquer pessoa com doença pré-existente pode contratar um plano de saúde.6

Sague do FGTS – o paciente com câncer e também a pessoa que tem um dependente com câncer podem sacar. É preciso ter atestado médico com validade de 30 dias e outros documentos, que estão listados no site da Caixa Econômica Federal.5,7-9

Auxílio-doença – qualquer segurado do INSS incapacitado para o trabalho por causa de doença por mais de 15 dias tem direito a receber mensalmente, depois da doença ser comprovada por perícia, que pode ser agendada no site da instituição.10

Aposentadoria por invalidez – o paciente com câncer que não puder mais trabalhar tem direito ao benefício desde que seja segurado do INSS e a incapacidade seja comprovada por perícia, que pode ser agendada no site da instituição.10

Isenção de IR sobre aposentadoria – mesmo tendo adoecido depois de começar a receber, o paciente com câncer não paga Imposto de Renda sobre aposentadoria. Mas a perícia médica da União precisa comprovar. O site da Receita Federal tem mais informações.11,12

Isenção de impostos para compra de veículo – a pessoa com câncer tem direito de não pagar IPI (que é um imposto federal) e nem ICMS (se estiver previsto na legislação do Estado, pois é um imposto estadual) na compra de veículo zero adaptado se não puder dirigir um carro comum.5

Gratuidade no transporte coletivo – como vários estados e municípios dividem a responsabilidade pelo transporte urbano, é preciso verificar na secretaria de transporte de um ou do outro se o benefício existe e como pode ser obtido.5

Isenção do IPTU – alguns municípios liberam do IPTU pessoas com doenças crônicas, o que vale para o paciente com câncer. É necessário verificar na prefeitura da cidade se o benefício existe e o que é preciso para conseguir.5

Para ajudar com os trâmites para requisitar direitos e tirar dúvidas, é importante consultar um advogado. Saiba mais sobre os direitos da pessoa com câncer.

 

Referências:

1 - PDQ Financial Toxicity and Cancer Treatment. National Cancer Institute. PDQ® Adult Treatment Editorial Board. Disponível em: https://www.cancer.gov/about-cancer/managing-care/track-care-costs/financial-toxicity-hp-pdq. Acesso em: outubro/2019.
2 - Silva DKV, Pessoa ET, Veloso HH. Dificuldades Financeiras e Seus Impactos no Tratamento de Pacientes com Câncer: Uma Realidade Vivenciada no Projeto ERO. Disponível em: http://www.ufcg.edu.br/revistasaudeeciencia/index.php/RSC-UFCG/article/view/626/363. Acesso em: outubro/2019.
3 - Portaria nº 874, de 16 de maio de 2013. Ministério da Saúde. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2013/prt0874_16_05_2013.html. Acesso em: outubro/2019.
4 - Lei no 12.732, de 22 de novembro de 2012. Presidência da República, Casa civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12732.htm. Acesso em: outubro/2019.
5 – Cartilha ABRALE – Direitos do Paciente com Câncer. Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia. Disponível em: http://abrale.org.br/downloads/cartilha-direitos.pdf. Acesso em: outubro/2019.
6 – Lei no 9.656, de junho de 1998. Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9656.htm. Acesso em: outubro/2019.
7 - Lei no 8.036, de 11 de maio de 1990. Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8036consol.htm. Acesso em: outubro/2019.
8 – Medida Provisória no 2.164-41, de 24 de agosto de 1990. Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/MPV/2164-41.htm. Acesso em: outubro/2019.
9 – Lei no 8.922, de 25 de julho de 1994. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8922.htm. Acesso em: outubro/2019.
10 – Lei no 8.213, de 24 de junho de 1991. Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8213cons.htm. Acesso em: outubro/2019.
11 – Lei no 7.713, de 22 de dezembro de 1988. Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l7713.htm. Acesso em: outubro/2019.
12 – Lei no 8.541, de 23 de dezembro de 1992. Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l7713.htm. Acesso em: outubro/2019.

Voltar

Veja mais desse tema

Posso fazer exercícios físicos quando estiver em tratamento?

Posso fazer exercícios físicos quando estiver em tratamento?

Saiba mais
Sintomas e sinais de emergência: quando correr para o hospital?

Sintomas e sinais de emergência: quando correr para o hospital?

Você sabe o que é uma emergência oncológica?

Emergências oncológicas são situações incomuns na pessoa com câncer, que podem ser causadas pela própria doença ou pelo tratamento e, que necessitam de um atendimento médico imediato para evitar maiores problemas. 1

Saiba mais
Imunoterapia

Imunoterapia

O tratamento do câncer vem evoluindo com o surgimento de novos tipos de medicações e estratégias de tratamento ao longo das últimas décadas. Neste contexto, a imunoterapia tem emergido como uma importante ferramenta no tratamento de vários tipos de câncer, ao lado de outras modalidades como quimioterapia, terapia-alvo, hormonioterapia, além de a cirurgia e radioterapia.

Saiba mais
Tratamentos oncológicos orais

Tratamentos oncológicos orais

Apesar de genericamente englobadas sob o termo quimioterapia oral, as terapias oncológicas administradas por via oral, através de cápsulas ou comprimidos, representam uma gama de diferentes classes de medicamentos, incluindo não apenas os quimioterápicos propriamente ditos, mas também os agentes hormonais, as drogas-alvo e os agente imunomoduladores. Devido aos diferentes mecanismos de ação, efeitos colaterais e particularidades na administração de cada uma dessas medicações, é importante que haja uma clara troca de informações entre a equipe de cuidados médicos e os pacientes antes do início do tratamento, para assegurar não apenas maior segurança, como também maior aderência, e consequentemente eficácia, do plano terapêutico proposto.

Saiba mais
Conheça Mais sobre os Tipos de Nutrição

Conheça Mais sobre os Tipos de Nutrição

Os alimentos que consumimos, são divididos em dois grandes grupos: macronutrientes e micronutrientes. Os macronutrientes são basicamente proteínas, gorduras e carboidratos. Já os micronutrientes, são as vitaminas e minerais. E quando ocorre uma falta desses nutrientes, ocorre o que chamamos de desnutrição.

Saiba mais
Importância da Nutrição no Resultado das Cirurgias

Importância da Nutrição no Resultado das Cirurgias

Todo procedimento cirúrgico, por menor que seja, envolve muitas variáveis que interfere no seu sucesso E, por isso, todo cuidado e o máximo de preparação devem ser tomados para inimizar os riscos e maximizar a segurança dos pacientes.

Saiba mais
Subir