Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.
Voltar

Terapias complementares para controlar os efeitos colaterais do câncer

Elas são reconhecidas pela medicina e podem ser aliadas na promoção de qualidade de vida do paciente oncológico.1

Terapias complementares para controlar os efeitos colaterais do câncer

As terapias complementares englobam uma série de práticas não-convencionais que trabalham o corpo e a mente e ajudam a aliviar sintomas do câncer e de tratamentos, como a quimioterapia e a radioterapia. Essas terapias não substituem o tratamento convencional, mas em conjunto proporcionam melhor qualidade de vida aos pacientes e pessoas que já venceram o câncer.1

Terapias complementares e terapias alternativas: qual a diferença?

As terapias complementares estão inseridas na prática da Medicina Integrativa, um ramo da medicina que não coloca a doença como principal foco de atenção, mas o paciente como um todo, integrando corpo, mente e espírito. Alguns exemplos são: fitoterapia, acupuntura, reflexologia, ioga, massagem, musicoterapia, entre outras. Elas são reconhecidas pela ciência e há diversos estudos de caso sobre seus efeitos.1,2

É importante diferenciar as terapias complementares de terapias alternativas, que são entendidas pela medicina como substitutas ao tratamento tradicional. Estas podem trazer graves consequências à saúde pois seus efeitos são desconhecidos pela ciência, ou seja, podem fazer tanto bem quanto mal. Já as terapias complementares, mesmo que não tenham o resultado esperado, não atrapalham o tratamento.1

Benefícios das terapias complementares no controle dos efeitos colaterais do câncer

As terapias complementares mais recomendadas por médicos e com chances maiores de eficácia são:3,4

Acupuntura – envolve a estimulação de pontos específicos do corpo por meio de agulhas, que são inseridas na primeira camada da pele. Cada ponto corresponde a uma parte do corpo a ser trabalhada. Uma variação da acupuntura é a eletroacupuntura, em que uma pequena corrente elétrica é passada ao longo de agulhas para fornecer um estímulo mais forte.3,4

  • Indicação da acupuntura para pacientes oncológicos: ajuda a aliviar os sinais e sintomas de náusea, vômito, estresse, ansiedade, alterações de humor e dores que não são controladas por medicamentos.3,4

Meditação – é um conjunto de práticas focadas em treinar a atenção e o controle dos processos mentais. No geral, os vários tipos de meditação têm quatro elementos em comum: um local tranquilo, uma postura confortável, que pode ser deitada ou sentada, um foco de atenção e a intenção de deixar os pensamentos entrarem e saírem naturalmente.3,4

  • Indicação da meditação para pacientes oncológicos: promove o bem-estar, calma, concentração e clareza. Reduz a ansiedade e os sintomas depressivos, além de ajudar na melhora da fatiga após o tratamento do câncer.3,4

Ioga – é uma prática focada em corpo e mente, baseada em uma filosofia antiga do sul da Ásia. A ioga une posturas físicas, técnicas de respiração e treinamento de meditação.3,4

  • Indicação da ioga para pacientes oncológicos: ajuda a controlar o estresse, ansiedade e sintomas de depressão, reduz a fadiga e a insônia. É uma boa opção de exercício físico, principalmente em pessoas que não estão em condições físicas adequadas para outros tipos de prática.3,4

Musicoterapia – usa a música para atingir necessidades físicas, emocionais, cognitivas e sociais. Os médicos qualificados avaliam as necessidades do paciente e seus pontos fortes e introduzem a música no tratamento, como antes de fazer um procedimento, ou incentivam que o paciente crie, faça intervenções na música ou cante. Ainda não se sabe exatamente como a musicoterapia funciona, mas acredita-se que as influências são psicológicas, comportamentais e neurológicas.3,4

  • Indicação da musicoterapia para pacientes oncológicos: é indicada para reduzir a ansiedade, controlar oscilações de humor e diminuir a sensação de dor.3,4

Massagem – há diversos tipos de massagem, onde o fisioterapeuta aperta, amassa e estica os músculos e outros tecidos com vários níveis de pressão. Em pacientes com câncer, é preciso cuidado com o local do tumor, possíveis feridas e áreas vulneráveis do corpo.3,4

  • Indicação da massagem para pacientes oncológicos: promove relaxamento, controla sintomas de ansiedade e oscilação de humor e ajuda a aliviar dores musculares. A drenagem linfática ajuda a eliminar a retenção de líquidos, comum em pacientes com câncer de mama que passaram por cirurgia.3,4

É importante que as terapias complementares sejam indicadas pelo médico, que saberá qual a melhor indicação para cada caso, além de indicar profissionais qualificados.

 

Referências:

1 - Instituto Nacional do Câncer. Revista Rede Câncer. Ed 33. Disponível em: https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files//media/document//rrc-33-comportamento-sem-contraindicacoes.pdf. Acesso em outubro/2019.
2 – SIEGEL, P. BARROS, N. F. O que é a Oncologia Integrativa? Disponível em http://www.scielo.br/pdf/cadsc/v21n3/v21n3a18.pdf. Acesso em outubro/2019.
3 – American Cancer Society. Clinical Practice Guidelines on the Evidence-Based Use of Integrative Therapies During and After Breast Cancer Treatment. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.3322/caac.21397. Acesso em outubro/2019.
4 – The cancer journal. Integrative Medicine Therapies for Pain Management in Cancer Patients. Disponível em: https://journals.lww.com/journalppo/pages/currenttoc.aspx#-705724634. Acesso em novembro/2019

Voltar

Veja mais desse tema

Como estipular uma rotina saudável durante o tratamento do Câncer?

Como estipular uma rotina saudável durante o tratamento do Câncer?

Você sabe como criar uma rotina saudável?
O tratamento do câncer implica em mudanças no âmbito profissional e pessoal, de forma que é preciso aprender a lidar não somente com os efeitos colaterais decorrentes do tratamento, mas também com os aspectos sociais e psicológicos. 1

Saiba mais
Como suplementar o paciente oncológico

Como suplementar o paciente oncológico

Desnutrição em indivíduos com câncer é muito frequente por diversos fatores: localização do tumor (pacientes com câncer de cabeça e pescoço ou trato gastrointestinal começam a ter dificuldade de se alimentar, e consequentemente, perdem peso); efeitos da quimioterapia, como diminuição de apetite, alteração do olfato e paladar, inflamação na mucosa, dificuldade de deglutir, náuseas, vômitos, diarreia ou constipação; jejuns prolongados em exames ou cirurgias, no pré e pós operatórios; e pelos efeitos que também afetam o metabolismo, comuns a outras modalidades de tratamento como radioterapia, imunoterapia e hormonioterapia.

Saiba mais
Hidratação para o paciente oncológico

Hidratação para o paciente oncológico

Tratamento oncológico vai muito além das terapias convencionais, como quimioterapia, radioterapia, imunoterapia ou cirurgia. O bem-estar geral do paciente, junto à sua qualidade de vida, também faz parte do tratamento. Isto inclui alimentação, exercício físico, saúde mental e hidratação. Esses são os 5 pilares para uma vida saudável.

Saiba mais
sad

WebSérie GOSTO - Mucosite

O Projeto Gosto é uma parceria do Instituto Vencer o Câncer (IVOC) com a Nestlé. No decorrer de 4 episódios, o oncologista Thiago Jorge e a nutricionista Luísa Nunes conversam com pacientes oncológicos sobre o tratamento da doença e alimentação.

No episódio 3, o tema é "Mucosite", teve a presença do Sr. Osmar Vilela e a receita escolhida pelo chef Gentil Mendonça, mousse de chocolate.

Saiba mais
scsa

WebSérie GOSTO - Disgeusia

O Projeto Gosto é uma parceria do Instituto Vencer o Câncer (IVOC) com a Nestlé. No decorrer de 4 episódios, o oncologista Thiago Jorge e a nutricionista Luísa Nunes conversam com paciente oncológicos sobre o tratamento da doença e alimentação.

No episódio 2, o tema é "DISGEUSIA", que é a distorção ou diminuição do senso do paladar, e contou com a presença da paciente oncológica Nair Andrade e seu esposo Josué Lima. A receita escolhida pelo chef Gentil Mendonça, estrogonofe.

Saiba mais
sad

WebSérie GOSTO - Constipação e Diarreia

O Projeto Gosto é uma parceria do Instituto Vencer o Câncer (IVOC) com a Nestlé. No decorrer de 4 episódios, o oncologista Thiago Jorge e a nutricionista Luísa Nunes conversam com pacientes oncológicos sobre o tratamento da doença e alimentação.

No episódio 3, o tema é "Diarreia e Constipação", contou com a presença das pacientes Juliana Carelli e Sabrina Neves, a receita escolhida pelo chef Gentil Mendonça foi crepioca de legumes.

Saiba mais
Subir